sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Suas Mãos



É um calor inquietante, 1 par de mãos a me rodear
Sensação inebriante quando em seu colo me ponho a brincar
Se hesitei, foi 1 instante, aquele antes de me entregar
As pernas tremem, o corpo aquece e a boca começa a salivar

Rastros são deixados no chão, suspiros, fôlego, inquietação
Gemidos, sentidos aguçam tudo por conta de 1 par de mãos
O toque transmitia o que o coração não ousava dizer
Os olhos denunciavam nossa intensidade
A fala era algo inútil de querer entender
E aos poucos meu corpo conhecia daquelas mãos a habilidade

É tenro, sutil e uniforme
Carícias se multiplicavam, a noite cai, mas hoje a gente não dorme...

Minha canção de ninar, meu calmante
Necessito de suas mãos pra acalmar meu semblante
Meu vício, meu cheiro, meu amante
Suas mãos, meu corpo, nosso instante. 





Desenho por: Rafael Siqueira (SIQS)


6 comentários:

  1. Essa poesia é pra ser lida a 2...

    Duas pessoas numa cama gostosa e escutando um som foda.

    Parabéns meu, adorei.

    ResponderExcluir
  2. Linda demais...

    Parabéns Mel!!!

    Beijo,

    Carla

    ResponderExcluir
  3. parabéns garota...sempre inspirador...

    ResponderExcluir